Tiago Sant’ana faz visita mediada na galeria Simone Cadinelli

A galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea, em Ipanema, promove nesta sábado, dia 15, às 11h, uma visita mediada na exposição "Baixa dos Sapateiros", com o artista Tiago Sant'Ana e a curadora Clarissa Diniz. A mostra individual trata da imagem histórica dos sapatos como símbolo de libertação pós-abolição negra no Brasil. Essa abolição, oficiosa e sem reparação, era simbolizada pelo gesto de pessoas negras poderem calçar sapatos – como a população branca.

O título, "Baixa dos sapateiros", remete a uma região de mesmo nome em Salvador, na Bahia, local em que muitas pessoas negras recorriam para confeccionar seus sapatos. "O nome surge com essa proposta de falar de um lugar em que muitas pessoas iam desejando essa representação da liberdade, que eram os sapatos", informa o artista. "Era uma geografia que simbolicamente envolvia uma expectativa por essa promessa de cidadania para as pessoas negras, que nunca chegou completamente até hoje", completa.

Considerado um dos pontos altos da exposição, as esculturas com sapatos de açúcar cristal estabelecem um paralelo com o complexo sistema de exploração da cana-de-açúcar e a chegada de muitos engenhos na região do Recôncavo. Clarissa Diniz é responsável pela curadoria da exposição, que também apresenta com vídeo, fotografias, objetos e instalações em torno do tema.

Tiago Sant’Ana (Santo Antônio de Jesus, 1990) é artista da performance, doutorando em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia. Desenvolve pesquisas em performance e seus possíveis desdobramentos desde 2009. Seus trabalhos como artista imergem nas tensões e representações das identidades afro-brasileiras – tendo influência das perspectivas coloniais.


Foi um dos artistas indicados ao Prêmio PIPA 2018. Realizou recentemente a exposição solo "Casa de purgar" (2018), no Museu de Arte da Bahia e no Paço Imperial, no Rio de Janeiro. Participou de festivais e exposições nacionais e internacionais como "Histórias Afro-atlânticas" (2018), no MASP e no Instituto Tomie Ohtake, "Axé Bahia: The power of art in an afro-brazilian metropolis" (2017-2018), no Fowler Museum at UCLA, "Negros indícios" (2017), na Caixa Cultural São Paulo, "Reply All" (2016), na Grosvenor Gallery, e "Orixás" (2016), na Casa França-Brasil. Foi professor substituto do Bacharelado Interdisciplinar em Artes na Universidade Federal da Bahia entre 2016 e 2017.


Clarissa Diniz é curadora e escritora em arte. Graduada em Lic. Ed. Artística/Artes Plásticas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Foi gerente de conteúdo do Museu de Arte do Rio - MAR entre 2013 e 2018, onde desenvolveu também projetos curatoriais.


A galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea fica na Rua Aníbal de Mendonça 171, em Ipanema.


Fotos: Maiara Cerqueira