Tania Alice "Ensine-me a fazer arte" nesta quarta e quinta-feira no Rio

"Ensine-me a fazer arte", espetáculo da performer Tania Alice, para evidenciar as expectativas dos diferentes públicos em relação ao papel do artista na sociedade, tem apresentação nesta quarta-feira, dia 16 (em português) e quinta-feira, dia 17 (em francês), às 19h30, na Aliança Francesa de Botafogo. A entrada é gratuita.

A performer Tania Alice em uma zona rural da França.

Durante o ano de 2016, Tania Alice percorreu quatro continentes com uma mochila e um cartaz perguntando para os habitantes locais "O que um artista deve fazer hoje?". Em cena, ela realiza uma seleção das respostas dadas por pessoas das mais diversas nacionalidades, idades e profissões, incluindo o público da Aliança Francesa. A apresentação tem participação de Gilson Motta.

A artista em Lomé, no Togo.

Tania Alice (França, 1976) sonha com uma revolução dos afetos pela performance e pretende performar até que isso aconteça. É fundadora da plataforma Performers sem Fronteiras, artista-pesquisadora, professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e terapeuta do trauma. Realiza projetos participativos e relacionais em camas, cozinhas, espaços urbanos, universidades, florestas, chuveiros, redes, teatros e galerias do mundo inteiro.

Performance em Porto, Portugal.

A performance "Ensine-me a fazer arte" nasceu de uma inquietação profunda de Tania Alice, devida ao fato de as pessoas na França sempre lhe perguntarem, mesmo nos universos acadêmicos e artísticos, durante seu ano de pós-doutorado na Universidade de Aix-Marseille, o que era performance e que tipo de ações poderiam se vincular a essa linguagem artística.

Performance no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC.

Diante dessa perplexidade generalizada e de uma certa resistência dos meios acadêmicos e de certas instituições artísticas com a linguagem da performance, a artista passou a desenvolver um trabalho que consistia em perguntar para pessoas na rua o que elas achavam que um artista deva fazer hoje.

Largo do Machado, Rio de Janeiro.

Com um cartaz em que estava escrito "Ensine-me a fazer arte", Tania foi às ruas coletar respostas com as populações mais diversas em termos de idade, origem e profissão. O programa performativo funcionava em três etapas. De manhã, a artista saía na rua para realizar a parte relacional da performance. À tarde, ela transcrevia as respostas e preparava a apresentação dessas respostas. À noite, ela realizava a performance em público, projetando as respostas das pessoas em slides e executando as respostas, por vezes de forma participativa com o público, por vezes apenas apresentando as respostas, constituindo assim aos poucos um tipo de palestra performativa que incluía as respostas recebidas na rua.

Kerala, na Índia.

O Auditório da Aliança Francesa Botafogo fica na Rua Muniz Barreto 730. A entrada é franca, sujeita à lotação - senhas distribuídas 1 hora antes no local.