São Paulo - dia 2



Hoje tive dois momentos deliciosos e complementares. Tive o enorme prazer de estar com a pintora Cristina Sá, que admiro a distância há pelo menos um ano, talvez mais. Dona de interior forte que se percebe nos quadros com presença oriental constante, ela tem um loft, ou galpão, como prefere chamar, de dois andares. A gente entra e vai se sentindo tocada, sensibilizada, emocionada mesmo. A anfitriã é pura simpatia, aberta, e fala de seu processo com enorme naturalidade. Nem preciso dizer que poderia ficar horas ouvindo-a sem parar, contemplando seus papéis de texturas diferentes, me divertindo visualmente com seus potes transparentes com tintas de tooooooodas as cores. O universo de Cristina é rico, e vamos explorá-lo ainda mais quando eu fizer uma entrevista formal com ela, na temporada 2019 do meu programa Um Olhar Entrevistas.


Com fortes trovoadas, fui para a residência de Neza Cesar e Serginho De Divitiis. No caminho, o céu desmoronou, apesar de estarmos no mesmo bairro. É sempre uma delicia estar com aquele casal que trabalha com artes, cores e formas. Hoje tivemos um

Plus: foi à luz de velas ! Sim, a chuva se encarregou de tirar toda a energia da casa_ mas só a elétrica, digamos assim_ e nós três pudemos fazer nossos planos. Em breve você vai ver a arte de Serginho em seu movimento slow. Ele vai acompanhar Ruby Yallouz no time de designers do portal. Entre um delicioso chá de hortelã, quadros de Isabelle Tuchband, Verena Matzen, Deborah Netto e as esculturas de Edgar Duvivier, fomos muito mimados por dois seres muito, muito especiais: Gompho e Karma, pai e filha, boxers, que me adoraram e me presentearam com enormes lambidas e muito carinho. Não é à toa que eu gosto tanto desta terra. Amanhã tem mais !