Poesia Sonora: novo conceito é tema de evento múltiplo no CCJF

A Poesia Sonora pode soar - com o perdão do trocadilho - realmente novo aos ouvidos do grande público. E é. O que torna ainda mais instigante e convidativo o evento que acontecerá sobre o tema nesta sexta-feira, dia 22, a partir das 19h, no Centro Cultural Justiça Federal, no Rio, com produção de Tchello d'Barros.

A autora Brenda Marques Pena. Foto: Coletivo Contorno.

O evento oferece uma extensa programação, que inclui palestra aberta ao público e lançamento do livro "Poesia Sonora – História e Desdobramentos de uma Vanguarda Poética" (Ed. Tradição Planalto), da escritora mineira Brenda Marques Pena (MG). O encontro terá ainda a participação de poetas convidados, declamações, performance, homenagem, além, claro, de poemas sonoros.

A palestra será um bate-papo com a participação da plateia, quando também serão apresentados áudios de Poesia Sonora, além de uma discussão sobre o atual período de convergências das artes, investigando este contexto na globalização, em que a poesia de vanguarda é orientada para o discurso performativo.

O escritor e artista visual Tchello d'Barros. Foto: Dan Meneses.

A América Latina, cheia de ritmos e línguas dos povos indígenas, desenvolveu mais a oralidade que a escrita, com variações linguísticas, étnicas, sociais, políticas e econômicas, produzindo diversas práticas importantes para as linguagens artísticas. Durante o encontro serão compartilhadas poéticas experimentais de diversos poetas latino-americanos e também obras de autoria da palestrante e pesquisadora, incluindo poemas sonoros de seu novo livro de poesia "Tsunâmica".


"Poesia Sonora – História e Desenvolvimento de uma Vanguarda Poética" apresenta um breve panorama histórico da Poesia Sonora, com sua origem e desenvolvimento. Também aborda a relação entre as artes de vanguarda no século XX, em que esta poética está inserida em diálogo com os conceitos de oralidade, escrita, escritura, ruído, silêncio e ritmo.


As experimentações sonoras de John Cage e de Henri Chopin foram determinantes para o estabelecimento de novas linguagens para a música eletrônica e a Poesia Sonora, assim como as performances radiofônicas de Antonin Artaud. Este estudo se faz necessário hoje para compreendermos as aplicações da Poesia Sonora na hipermídia e para mostrar como as classificações rigorosas de arte estão caindo, além da busca de artistas por uma linguagem que se dá na interação entre as diferentes representações e suportes, na contemporaneidade.


A Poesia Sonora, em busca de uma linguagem universal e performativa, pode nos ajudar a pensar sobre os recursos da arte tecnológica, a partir de experimentos poéticos e pesquisas de teóricos como Jerônimo Rotemberg e Paul Zumthor, dedicados à poesia oral, que colaboram para um panorama da arte do século XX e seus impactos em nossa atualidade


Brenda Marques Pena é uma artista multifacetada: escritora, jornalista, fotógrafa, baterista e produtora cultural. Nasceu e vive em Belo Horizonte (MG), onde trabalha na Rede Minas Cultural e Educativa atualmente como repórter e produtora do Alto-Falante, programa de música exibido em rede pela TV Brasil. Integra o Coletivo Contorno, as bandas Cáustica e Ablusadas, o grupo Corpo Língua de performance cênica e o núcleo de pesquisa em dramaturgia do Galpão Cine Horto.


Atualmente pré-doutoranda, é Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, cursando a disciplinas na área de Poéticas e Políticas no doutorado, do programa de pós-gradução em Linguagens do CEFET-MG. É fundadora do Instituto Imersão Latina (IMEL), que faz parte das redes Facción Latina, Ciranda Brasil e Fórum Nacional de Democratização da Comunicação. Representante do Movimento Cultural Abrace, com sede no Uruguai e membro fundadora do Círculo de Narradores y Poetas del Mercosur.

Programa:

- Performance "Transsonoridade" com Marco Alexandre de Oliveira e Gringo Carioca.

- Sessão de Poesia oralizada, com os atores Bayard Tonelli, Jorge Piri, Jorge Ventura, Lili Balonecker, Marcela Giannini, Sady Bianchin e Susy Savedra, artistas do palco que também atuam na cena literária com sua produção autoral em poesia.

- Homenagem à poeta multilinguagens Regina Pouchain.

- Audição de poemas sonoros.

- Palestra Poesia Sonora, com Brenda Marques Pena, seguida de sessão de Autógrafos do livro “Poesia Sonora”.


O evento acontece na Sala de Leitura do Centro Cultural Justiça Federal (Av. Rio Branco 241, Cinelândia, no Centro do Rio).