Osmar Gonçalves dos Reis Filho vence o Prix Photo Aliança Francesa

O "Prix Photo Aliança Francesa 2019" acaba de revelar os vencedores desta que é a 9ª edição do concurso. Os premiados Osmar Gonçalves dos Reis Filho, Kitty Paranaguá, Giuliana Mota de Mesquita, e o ganhador da menção honrosa Luiz Baltar terão suas obras expostas na Galeria Aliança Francesa, em Botafogo, em março de 20202.

Osmar Gonçalves

O vencedor do júri oficial foi o cearense Osmar Gonçalves dos Reis Filho (Fortaleza, CE), com a série "A Sobrevivência dos Vagalumes", que será premiado com viagem a Paris com direito a acompanhante. A segunda colocada foi a carioca Kitty Paranaguá, com a série "Tempo Presente". O prêmio do júri popular foi concedido à Giuliana Mota de Mesquita (Nova Friburgo, RJ), pelo ensaio "Olhar Fronteiriço". Além dos primeiros colocados, destacou-se o ensaio "Favelicidade", de Luiz Baltar (Rio de Janeiro, RJ), a que foi conferida uma menção honrosa.

Kitty Paranaguá

O Prix Photo Aliança Francesa é um concurso nacional de fotografia aberto a todas e todos, profissionais e amadores. Por meio de temas da atualidade, um eco das grandes questões de nosso tempo, o concurso busca valorizar propostas artísticas originais, experimentais, sejam abstratas ou documentais, e que ofereçam um olhar diferenciado. A exposição que será apresentada na Galeria da Aliança Francesa do Rio de Janeiro, em março de 2020, seguirá em turnê pelas Alianças Francesas e seus parceiros em todo o Brasil.


"Estamos assistindo à reafirmação das fronteiras, que nunca chegaram a desparecer", Michel Foucher, geógrafo e diplomata francês.

Kitty Paranaguá

"Fronteiras" foi o tema selecionado para esta edição. A França possui sua maior fronteira terrestre justamente com o Brasil. Trata-se, aqui, da fronteira na sua acepção mais tradicional, como limite, marco ou linha divisória entre dois países. Uma linha, a princípio, invisível, resultado de tratados internacionais, que vem ganhando materialidade em certas regiões do mundo, como o ilustra o polêmico muro erguido entre o México e os Estados Unidos.

Giuliana Mota de Mesquita

A fronteira pode ser percebida, igualmente, como ponto de contato, de trocas ou, até mesmo, de fusão com o outro, com o que é diferente, com a alteridade. Em sentindo mais amplo, a fronteira pode, também, remeter à ideia de descoberta, de exploração e de inovação. A proposta do concurso consiste em debruçar-se sobre esse conceito que admite múltiplas acepções, perspectivas e traduções imagéticas.

Luiz Baltar

A Galeria Aliança Francesa fica na Rua Muniz Barreto 730, em Botafogo.