Obra de Ariano Suassuna é escolha de Vera Roesler para ler em casa

Para passar seu período de confinamento, a artista plástica Vera Roesler escolheu a companhia ímpar de Ariano Suassuna, e mergulha na leitura de "O Sedutor do Sertão". Escrito entre 7 e 30 de março de 1966, "O Sedutor do Sertão ou O Grande Golpe da Mulher e da Malvada" surgiu de um convite recebido por Suassuna para levar uma história sua às telas de cinema.


O filme, no entanto, acabou não se realizando por falta de verbas, e o texto foi parar na gaveta de inéditos, sendo publicado em 2019 pela primeira vez. A narrativa, escrita durante a criação do "Romance d’A Pedra do Reino" (1958-1970), não à toa apresenta diversos pontos de contato com a obra-prima do autor, a começar pelo protagonista, o anti-herói cômico Malaquias Pavão, irmão bastardo de Pedro Dinis Quaderna.


A ideia para o mote do enredo é retirada de uma passagem de "Os Sertões", de Euclydes da Cunha, a quem o livro é dedicado: um golpe para enriquecer contrabandeando cachaça. À diferença do clássico euclydiano, porém, o texto de Suassuna carrega nas tintas do humor, apresentando o riso como uma forma de escape de nossas recorrentes mazelas políticas.


Ficha técnica:

Categoria: Clássicos

Assunto: Ficção

Selo: Nova Fronteira

Páginas: 246

Ano: 2019