Obra de Leonilson ilustrou temas da 24ª edição da Bienal de São Paulo

O cartaz oficial da 24ª Bienal de São Paulo – Um e/entre outro/s trazia um desenho do artista Leonilson (1957-1993) e foi criado por Raul Loureiro e Rodrigo Cerviño Lopez. Com curadoria geral de Paulo Herkenhoff e museografia assinada por Paulo Mendes da Rocha, a exposição, que ficou conhecida como Bienal da Antropofagia, foi subdividida em quatro seções: "Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros."; Representações Nacionais; Arte Contemporânea Brasileira: Um e/entre Outro/s; e Núcleo Histórico: Antropofagia e Histórias de Canibalismos".


Entre os artistas com obras na exposição figuram Francis Bacon, Vincent van Gogh e Louise Bourgeois, além dos brasileiros Maria Martins, Hélio Oiticica e Lygia Clark. Outras informações podem ser consultadas na página do portal Bienal dedicada à mostra.

A obra de Leonilson, cujo trabalho ilustra o cartaz da 24ª Bienal, inclui pinturas, desenhos, bordados e algumas esculturas e instalações. As peças realizadas pelo artista são predominantemente autobiográficas, como em um diário pessoal. Sua poética trata de sua existência, debate sentimentos, alegrias, conflitos e dúvidas. No final de sua vida, descobre ser portador do vírus HIV, fato que repercute de forma dominante em sua obra.


"Ainda que novamente seja utilizada a reprodução da obra de um artista, o resultado foge ao diagrama-padrão adotado no cartaz da Bienal anterior. Tendo como pano de fundo o tema dessa edição da Bienal, ʽAntropofagia', a imagem escolhida é seca e contundente. Contrariamente ao excesso dos cartazes da 21ª e 22ª, neste caso reinam a limpeza e a precisão. O desenho flutua no plano preto, e nele uma figura caminha sobre um fio, sugerindo o delicado equilíbrio que caracteriza o trabalho do artista, independente de época ou lugar". (Francisco Homem de Melo, Bienal 50 anos 1951-2001, 2001, p.304)

Fale conosco