O improvável na arte em destaque na Reserva Cultural

A Galeria Reserva Cultural em Niterói acaba de inaugurar a mostra "Impressões do Improvável". A experiência reúne dez artistas contemporâneos de diferentes estados brasileiros e gerações que atenderam a provocação feita pelo curador Vilmar Madruga para criar trabalhos que lidassem, cada um dentro de sua produção, com a ideia do improvável.

"Notas públicas", de Iris Helena.

Participam da mostra os artistas Alex Hamburger, Ana Hortides, Daniela Mattos, Iris Helena, Mariana Paraizo, Leila Danziger, Matheus Rocha Pitta, Ricardo Basbaum, Sergio Torres e Vijai Patchineelam.

Obra de Vijai Patchineelam.

"Impressões do Improvável", por Vilmar Madruga


Esta mostra partiu da provocação feita a dez artistas para que, no campo de suas investigações pessoais, nos legassem uma organização de visualidades a partir da reprodução de uma ideia que tangenciasse a questão do improvável. De acordo com o dicionário, improvável é aquilo que não se pode provar, que parece não ser verdade (inverossímil) ou que não pode acontecer.

Obra de Matheus Rocha Pitta.

A ideia de apresentar as marcas ou índices daquilo que não possuiria prova alguma nasce de um desejo de ver no mundo uma espécie de inversão da lógica dos "possíveis", como se a linguagem mesmo nos estivesse disponível em um tipo de operação em que a inauguração dos sentidos estivesse, a um só tempo, ao alcance do pensamento e das mãos.

Obra de Ana Hortides.

Como se o gesto pudesse significar de novo e de novo os nexos já há muito instaurados e assentados. E, mais ainda, que talvez por isso mesmo, os trabalhos de arte possam de fato, dentro de sua singularidade, abrir novos campos de possibilidade de ação e de fala, subvertendo e traindo, de alguma maneira a sua origem.

Obra de Sergio Torres.

A Galeria Reserva Cultural fica na Av. Visconde do Rio Branco 880, em São Domingos. A exposição pode ser visitada até 18 de novembro, das 12h às 22h.


Fotos: divulgação