"No Campus", de Nelma Camargo, tem vernissage nos Correios, no Rio

O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro inaugura nesta quarta-feira, dia 29, às 19h, a exposição "No Campus", individual de Nelma Camargo, que poderá ser visitada até 22 de março. A mostra reúne 16 trabalhos, além de uma pequena série em paralelo, "Os Enjoados", com mais 12 imagens.


"Moro próximo a um campus, onde há muitos anos estudo e faço longos passeios entre prédios rodeados por uma vegetação exuberante, lagos e caminhos com pontes. Muitas vezes me deparo com estudantes, professores e outras pessoas que ali passam também apenas para caminhar e apreciar o espetáculo que é esta pequena cidade universitária.


Sem qualquer propósito definido de trabalhar uma série sobre o assunto, e por carregar sempre dentro de minha bolsa lápis e papel, e apreciar a beleza do local, fui aos poucos fazendo croquis sobre um pedaço do caminho que me chamou mais a atenção, uma ave pousada em um galho, um sapo ao lado do lago e até esboços sobre o vai e vem das pessoa que saíam e entravam nos prédios dos mais variados tipos e com os mais variados humores estampados em suas faces – aborrecidas, alegres, enjoadas, falantes.


Até o surgimento do movimento denominado romantismo, a definição de arte era "como a ação de imitar a natureza" (Aristóteles), em que o valor da obra estava na forma fidedigna do objeto que o artista reproduzia em seu trabalho, ou seja, na concepção estética. Porém, a partir do início do século XIX, a filosofia passou a definir a obra da arte como uma criação subjetiva em que, em lugar da imitação, o artista exteriorizava seus sentimentos para trabalhar sua obra de arte, o que recebeu o nome de inspiração.


Com o desenvolvimento da sociedade industrial, a imagem do artista como gênio criador e da obra de arte como realização do belo vão sendo deixadas de lado. A arte não é mais vista como produção e contemplação da beleza para ser vista por outra perspectiva, tal como a expressão de emoções e desejos, a invenção de procedimentos inéditos para a construção de objetos, interpretação e crítica da realidade social. Assim, a beleza estética é cada vez mais associada a ideia de poética, a arte como trabalho, a obra de arte como um fazer.

Não sei precisar o momento quando passei de mera expectadora, em que desenhava imitando a paisagem, e meu olhar era analítico e até alheio, apenas contemplativo, para um outro momento em que me vi parte do entorno e completamente integrada no próprio espaço, o momento da inspiração, a expressão do meu mundo interior."


Nelma Camargo


O Centro Cultural Correios fica na Rua Visconde de Itaboraí 20, no Centro do Rio.