Museu do Açude tem homenagem de cinco artistas contemporâneos


Beth Jobim e Vera de Alencar.

O Museu do Açude recebeu uma homenagem de cinco grandes artistas contemporâneos brasileiros. Angelo Venosa, Eduardo Coimbra, Iole de Freitas, Nuno Ramos e Waltercio Caldas, que possuem obras permanentes no local, criaram múltiplos (objetos iguais, em série de 15) em tributo ao museu.

Waltercio Caldas

A iniciativa partiu de uma parceria da Mul.ti.plo Espaço Arte com os Museus Castro Maya. A apresentação das peças foi neste último domingo, dia 15, na pérgula do Museu do Açude, sob uma tarde fresca e ensolarada na Floresta da Tijuca.

Vera de Alencar, Maneco Mulle e Stella Ramos

Stella Ramos e Maneco Muller (Mul.ti.plo) e Vera de Alencar (Museus Castro Maya – Ibram – Ministério da Cidadania) receberam os convidados. Beth Jobim, Malu Fatorelli, Laura Burnier, Marcos Chaves, Cristina Magalhães Pinto, Jorge Daves e Toz foram alguns dos presentes.

O múltiplo de Nuno Ramos.

Waltercio Caldas apresentou seu inusitado "aparelho de funcionamento simbólico" ou de "sugestões poéticas", que pode ser montado pelo próprio espectador. O múltiplo de Eduardo Coimbra era o único suspenso em parede, um díptico composto de caixas de luz feitas de aço e fotografia, lembrando o efeito óptico de um espelho retrovisor.

Iole de Freitas e seu múltiplo.

Iole de Freitas apresentou um múltiplo criado com o mesmo material utilizado na sua obra permanente (policarbonato e aço inox). O trabalho de Nuno Ramos (que não pôde comparecer ao evento) faz uma reverência à Nelson Cavaquinho, unindo a arte popular à alta cultura dos dicionários.

A obra de Angelo Venosa é uma peça em bronze que, assim como sua obra no museu, tem relação com a natureza e parte de um molde impresso digitalmente. Os múltiplos agora seguem para a ArtRio, onde serão lançados no estande da Mul.ti.plo Espaço Arte, na quarta, dia 18, dia do preview da feira.

Eduardo Coimbra, Vera de Alencar e Waltericio Caldas.

Fotos: Júnia Azevedo