Maguy Etlin e Rodrigo Sassi são parceiros em projeto na Carbono

No intuito de ampliar o mercado de arte contemporânea com novas possibilidades, a Carbono Galeria apresenta o projeto Edição do Colecionador, em que colecionadores escolhem um artista para desenvolverem juntos uma edição exclusiva.


Para a primeira edição do projeto, a colecionadora Maguy Etlin convidou o artista Rodrigo Sassi, e a escultura intitulada "Pendente" é o resultado dessa colaboração. A obra apropria-se do duplo sentido da palavra: "suspensão" e "o que aparentemente ainda se encontra em processo".


Sassi utiliza materiais encontrados na construção civil e em seus percursos pela cidade, usando técnicas construtivas para criar sua própria arquitetura, desenhando composições que interferem e interagem com o espaço ao seu redor.


Visualmente influenciado por referências provenientes da cidade de São Paulo, o início da trajetória artística de Rodrigo Sassi (São Paulo, 1981. Vive e trabalha em São Paulo) é marcada pelo desenvolvimento e prática de intervenções urbanas, época em que vivenciou e utilizou a cidade como suporte de atuação, reflexão e inspiração para seus trabalhos. Com o passar do tempo, esta pesquisa, até então realizada no cenário urbano, se transformou em referência estética e conceitual para um trabalho desenvolvido em ateliê, hoje dedicado principalmente ao tridimensional, desdobrando-se para outros suportes.


Tendo como ponto de partida a arquitetura, o cenário urbano e processos relacionados à construção civil, as obras de Sassi assumem como poética de linguagem a relação entre estas áreas e as artes visuais, criando, a partir do uso de materiais e técnicas construtivas, esculturas e instalações que interferem e se integram ao espaço, criando sua própria arquitetura. Como consequência do uso de materiais encontrados nas ruas, seus trabalhos estão profundamente conectados com o ambiente local e podem ser vistos como uma extensão do espaço urbano, de forma que as marcas e rastros remanescentes nas composições de suas obras situam o espectador em relação a sua história, ao percurso e ao processo de transformação da matéria.


Graduado em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP (2006), Rodrigo participou de algumas residências artísticas, entre elas CAMPO AIR, no Urugay (2019); Sculpture Space, nos Estados Unidos (2016); e Cité Internaciolnale des Arts de Paris (2014/2015), na França. Realizou exposições individuais em galerias e instituições, tanto no Brasil como no exterior, dentre elas Tríptico na FAMA – Fábrica de Arte Marcos Amaro, em Itu, em 2019; Esquinas que me atravessam, no Centro Cultural Banco do Brasil - São Paulo, em 2018; Mesmo com dias maiores que o normal, no Centro Cultural São Paulo, em 2017; Tudo aquilo que eu lhe disse antes mas nem eu sabia, na Red Bull Station, em 2016; In Between, que itinerou da Nosco Gallery, em Londres, para a MDM Gallery em Paris.


É representado, em São Paulo, pela Central Galeria.