Juliana Borinski promove evento em seu ateliê em Paris no sábado

A multiartista Juliana Borinski abre as portas do seu ateliê, no Quartier de la Villette, em Paris, neste sábado, dia 17, para exibir não apenas suas séries em diferentes suportes - fotografia, vídeos, negativos... - , mas para promover ao público a experiência de conhecer melhor seus espaço e processos produtivos.

Com atuações em áreas diversas, essa artista contemporânea, de origem brasileira e alemã, circula pelo eixo cultural europeu trabalhando com filme (película e fotografia), experimentando a conjunção entre iconografia e iconoclastia.

Nascida no Rio de Janeiro, em 1979, estudou na Academia de Media Art Cologne (KHM), na Alemanha, com Valie Export e Siegfried Zielinski, Jürgen Klauke e David Larcher. A artista se formou em 2007 em artmedia. Entre 2004 e 2005, estudou na Villa Arson, escola de belas artes de Nice, na França.

Seu trabalho é divulgado internacionalmente em espaços de arte contemporânea desde 2006.

Entre os quais estão Lugar a Dudas (Colômbia), Fundação Henri Cartier-Bresson (França), Muhka Antuérpia (Bélgica), Würtembergischer Kunstverein Stuttgart (Alemanha), Fondation Ricard Paris (França), TENT Rotterdam (Holanda), Paço das Artes de São Paulo (Brasil), Le Quartier, Centre d’art contemporain de Quimper (França), NIMK, Amsterdam (Holanda), The Drawing Room London (Reino Unido), Haus der Kulturen der Welt Berlin (Alemanha).

De 2011 a 2012 foi professora convidada no departamento de artes autônomas da Royal Academy of Fine Arts (KASK), em Ghent, Bélgica. Desde 2018, juntamente com Catalina Ravessoud, é fundadora da ONG CAJU CAJU, que promove trabalhadores independentes no campo cultural, enquanto realiza paralelamente oficinas educativas em todo o mundo. Para o último trimestre acadêmico em 2018, ela foi convidada para ensinar na Royal Academy of Fine Arts de Bruxelas, no departamento de arte pública.


Fotos: divulgação