Incertezas, acasos e incidentes são tema de série de Helô Mello em SP

A paisagem – como espaço vivido, imaginado ou mediado por dispositivos técnicos – é o objeto central da artista Helô Mello em sua individual "Horizonte Suspenso", abrigada no projeto Zip'Up. A mostra reúne fotografias em que o processo criativo é pautado por incertezas, acasos e incidentes: a experimentação se dá a partir de fotos analógicas, produzidas com uma máquina de poucos recursos e precisão; no momento da captura, os quadros do filme – eventualmente envelhecido - são sobrepostos, registrando, também, diferentes tempos em uma mesma imagem. Com curadoria de Eder Chiodetto, a exposição inaugura na próxima quinta-feira, dia 05, às 19h.

"Películas vencidas, câmeras erráticas, justaposições feitas às cegas e a incorporação de ruídos gerados por um processo criativo crivado de acasos, formam o léxico da pesquisa que a artista tem desenvolvido nos últimos anos", afirma o curador.


Estes horizontes em suspensão se formam a partir imagens caóticas, que flutuam na presença de um passado intangível. A imprevisibilidade do gesto é incorporado no conceito dos trabalhos, que visa criar paisagens inventadas oriundas de tempos subjetivos. "O filme, em um só tempo, vela e revela a memória em flagrante desconstrução. Minhas imagens visam reconstituir o momento impreciso em que a imagem engole o tempo", reflete a artista.


"Horizonte Suspenso" ficará em cartaz até 05 de outubro. A Zipper Galeria fica na Rua Estados Unidos 1.494, no Jardim América, em São Paulo.