IMS lança programa de incentivo à criação artística no confinamento

O Instituto Moreira Salles, diante da situação de vulnerabilidade causada pela pandemia da Covid-19 na sociedade brasileira, e particularmente na produção das artes, lança um programa de incentivo à criação artística concebido para vigorar durante o período ainda imprevisível do confinamento. Inicialmente, nesta primeira etapa, serão R$ 500 mil, destinados a duas ações. A primeira é formada por projetos individuais comissionados pelo IMS, que ficarão disponíveis para o público no site e nas redes sociais da instituição como IMS Quarentena - Programa Convida. Serão contemplados cerca de 50 criadores, nas áreas de atuação do Instituto: fotografia, cinema, música, literatura, artes visuais e desenho gráfico.

Os projetos não seguem formatos fixos ou rígidos, tendo sido apenas solicitado que não implicassem em deslocamentos físicos ou outras formas de quebra às medidas de isolamento social. Ao mesmo tempo, ainda nessa primeira etapa do programa, o IMS convidou grupos coletivos de produção artística e ação social com que já mantém uma relação de parceria e que atuam em regiões de periferia, de grande vulnerabilidade, para que construam e desenvolvam projetos em seus campos de atuação. As duas novas iniciativas encaixam-se no projeto #IMSquarentena, que está no ar em quarentena.ims.com.br desde a sexta-feira, 3 de abril, com ensaios do acervo, trabalhos inéditos, podcasts e indicações de leitura sobre a atual conjuntura. O material preparado especialmente pelas equipes das revistas Serrote e ZUM está disponível no site institucional (ims.com.br) e nas redes sociais (Instagram, Facebook e Twitter) do Instituto Moreira Salles. Desse modo, mesmo com seus centros culturais (São Paulo, Rio de Janeiro e Poços de Caldas) fechados há um mês e suas equipes trabalhando em casa, o IMS busca levar ao público interpretações muito particulares de uma grande diversidade de criadores.