Flávia Junqueira ocupa a Zipper Galeria com "O Absurdo e a Graça"

Em "O Absurdo e a Graça", a artista Flávia Junqueira leva a fotografia encenada para a sua fonte mais primordial: o espaço de espetáculo, encenação e contemplação. Terceira individual da artista na Zipper Galeria, a exposição reúne trabalhos realizados a partir da apropriação pela artista de exemplares arquitetônicos do patrimônio histórico nacional – de teatros representativos da Belle Époque brasileira, do final do século 19, à arquitetura modernista do Pavilhão da Bienal, de meados do século 20 – onde ela constrói cenários ficcionais permeados por luxo e suntuosidade, ainda que de maneira irônica. Com texto crítico assinado pelo escritor Julián Fuks, a mostra inaugura no próximo dia 12, sábado, às 12h.

Elemento presente em todos os trabalhos, o balão é o grande personagem da série fotográfica, encarnando diversos papéis: como elemento lúdico, cria a atmosfera de regozijo própria do universo visual da infância, que permeia toda a produção de Flávia Junqueira; como metáfora da decadência, assume o papel de espetáculo perene, apenas retido pelo instante fotográfico, uma vez que a passagem do tempo torná-lo-á obsoleto, murcho, abandonado; ora os balões ocupam o lugar dos espectadores, ora, a posição da artista, em um jogo de deslocamentos; outras vezes, assumem a simbologia criadora das narrativas fantásticas, que se constituem em peças-chave nos espaços ocupados pela artista.

E se os balões aparecem como metáforas, estes o fazem em monumentos propriamente concebidos para os atos de encenar e contemplar. A arquitetura da representação, símbolo de diversos contextos históricos brasileiros, passa a ser o ateliê da artista: "Teatro João Caetano", em Niterói, construído em 1842; "Teatro da Paz", Belém do Pará, de 1878; "Teatro Amazonas", em Manaus, 1886; Cristo Redentor, Rio de Janeiro, 1922; Pavilhão Ciccillo Matarazzo, São Paulo, 1957.

"Todos estes espaços são cenários compostos por inúmeras camadas histórias, do ciclo da borracha à industrialização e urbanização do País. Meu trabalho aplica mais uma dessas camadas nos monumentos", afirma a Flávia Junqueira.

Para a abertura da individual, no dia 12, a artista planeja criar a ambientação mágica e fantástica de seus trabalhos no salão principal da galeria. "O Absurdo e a Graça" ficará em cartaz até 16 de novembro. A mostra tem apoio de Carol Bassi, Samsung, JC Party, Dúo Art Ice, Chandon, Água Crim e Qualatex.


A Zipper Galeria fica na Rua Estados Unidos 1.494, no Jardim América, em São Paulo.