Festival Artesol celebra a diversidade do artesanato brasileiro

Completando 20 anos de história em 2018, a organização Artesol realiza pela primeira vez o Festival Artesol, com exposição, seminário, oficinas e feira criativa, celebrando a diversidade de técnicas artesanais, matérias-primas e processos criativos no Brasil.

Folhas bordadas da artista Clarice Borian.

O evento ocupa os salões do Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico, no Rio, a partir desta quinta-feira, dia 22, e se estende até 31 de janeiro de 2019. Com patrocínio exclusivo da Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, o festival vai focar na perspectiva da Cultura Imaterial do fazer artesanal nacional, representado por artesãos das cinco regiões do País.

Pássaros de madeira umburana da Associação de Artesãos de Santa Brígida.

Além da conexão do público com os artistas, o Festival Artesol promove o contato com os biomas brasileiros, que fornecem as matérias-primas para o desenvolvimento das mais diversas técnicas artesanais. Também será possível observar a influência de referências sagradas e memórias ancestrais de povos indígenas, assim como tradições de povos africanos e europeus.

Cestos de trançado do Grupo Turiarte do Pará.

"Queremos dar visibilidade a essa forma tão verdadeira de arte que é o artesanato, que brota do encontro do imaginário do artesão com a matéria e as formas da natureza ao seu redor. Com o festival, teremos, além da exposição, uma oportunidade ímpar para o debate, a troca de experiência e de compartilhamento de histórias autênticas", afirma Sonia Quintella, presidente da Artesol.

Boi de cerâmica de João das Alagoas, de Capela (AL).

Para os porta-vozes da Vale, patrocinar esse evento é poder compartilhar valor por meio da cultura e do conhecimento. "Na exposição, valorizamos o artesanato e os artesãos brasileiros que representam a rica diversidade cultural criativa do nosso país. Desta forma, colocamos a cultura no centro das reflexões sobre transformação social e sustentabilidade", declara Christiana Saldanha, gerente de patrocínios da Vale.

Bonecas de cerâmica do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais.

O evento vai reunir trabalhos de mais de 200 diferentes artistas vindos de todas as regiões do Brasil, incluindo indígenas das etnias Mehinako, Ashaninka, Juruna, Marubo e karajá. Dentre os artistas populares, destaque para as peças de Mestres Vitalino e Galdino (PE), Veio (SE), Nino (CE), Isabel (MG) e nomes reconhecidos pelo trabalho de co-criação com designers, como o caso de Espedito Seleiro com os Irmãos Campana.

Trançados do grupo Joias do Quilombo.

A feira acontece até o próximo dia 25, na sede da Associação de Amigos do Jardim Botânico (AAJB), casa 6.


O Festival da Cultura Imaterial no Fazer Artesanal se estende até 31 de janeiro de 2019. O Museu do Meio Ambiente fica na rua Jardim Botânico 1008.


Entrada franca.


Fotos: divulgação