Dupla de artistas da Bienal de Curitiba cria diário do confinamento

Dois pintores contemporâneos, um russo e um francês radicalizado alemão, correspondem-se diariamente por meio de pinturas e pequenos textos sobre seus cotidianos em tempos de isolamento social. Historicamente, a arte sempre responde à realidade e aos acontecimentos do mundo. Uma emblemática frase atribuída a Banksy explica um pouco sobre esse processo bilateral: “a arte deve perturbar o que é confortável e confortar o que perturba”.

You Are a Disaster!, 2019 de Vladimir Potapov

Sob o panorama da pandemia vigente, artistas e instituições do mundo inteiro estão criando e propondo maneiras de pensar e expressar a vida a partir do isolamento social. Mesmo em isolamento, grande parte da população mundial encontra-se bastante conectada via redes sociais, como o Instagram e o Facebook, o que tem ajudado muitas pessoas em período de quarentena a dividirem ansiedades, medos, angústias, mas também paixões, boas notícias, humor, arte.


Neste contexto, dois artistas participantes da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba decidiram iniciar um diálogo artístico diário por meio de suas redes sociais, documentando seu cotidiano: Emmanuel Bornstein, pintor francês residente em Berlim, e Vladimir Potapov, pintor russo residente em Moscou.

Run V, 2019 de Emmanuel Bornstein

“Nosso novo estilo de vida é ditado por circunstâncias bem conhecidas. Isso nunca foi e nunca será como era antes. Nós (eu e Emmanuel Bornstein) decidimos iniciar um diálogo diário no Instagram e no Facebook. É importante vivermos o nosso tempo, sentir todos os medos, desespero e esperanças. Documentaremos nosso cotidiano, e faremos da melhor maneira possível para nós – pintando. O diário online é uma crônica de isolamento imerso na vida doméstica, em experiências internas e na compreensão do que está acontecendo lá fora. Começa hoje (21 de março) e continua até o final da quarentena. Desejamos a todos segurança e saúde!”, explica Vladimir Potapov. O projeto de quarentena dos artistas Bornstein e Potapov é publicado todos os dias nas redes sociais da Bienal de Curitiba. É possível acompanhar acessando os stories da Bienal no Instagram, as publicações diárias na timeline da página da Bienal no Facebook ou a thread da Bienal no Twitter. Todos os textos são traduzidos do inglês e do russo ao português e acompanham a pintura feita pelos artistas no dia da publicação.