"Arte Aproxima", no MNBA, é prorrogada até o próximo dia 13

A exposição participativa "Arte Aproxima", no Museu Nacional de Belas Artes, foi prorrogada até o dia 13 de janeiro. Idealizada pela psicóloga Robertha Blatt, com curadoria de Lisette Lagnado, a mostra tem o objetivo de familiarizar o público jovem com o mundo da arte.

A mostra cria um circuito inédito integrado entre as obras contemporâneas dos artistas Ernesto Neto, Efrain Almeida, Priscila Fiszman, Emilia Estrada, Aline Gonet e a própria Robertha Blatt e pinturas emblemáticas da história da arte, pertencentes ao Museu, como "A Primeira Missa" (1948), de Candido Portinari (1903-1962), e obras do século XIX, de artistas como Victor Meirelles (1832-1903) e Pedro Peres (1841-1923).

A exposição é aberta a crianças de todas as idades e é complementada com a participação do público, cujos trabalhos criados por meio das atividades propostas e dos materiais disponíveis, ficarão expostos, integrando-se às obras existentes, como um grande tricô coletivo e, ainda, uma estrutura construída com tijolos contendo desenhos feitos pelas crianças.

"A arte é curativa e transformadora, permite entrar em contato consigo mesmo, trazendo insights. Os artistas vivenciam isso durante a produção das obras, mas essa oportunidade pode existir para todos. O projeto tem como objetivo democratizar e disponibilizar essa experiência para as pessoas", acredita Robertha Blatt.

"A Primeira Missa no Brasil", de Candido Portinari (1948).

O Museu Nacional de Belas Artes fica na Avenida Rio Branco 199, no Centro do Rio.


Fotos: Pedro Agilson