Angela Od apresenta a morte do herói, na Galeria Movimento, no Rio

"Final Fantasy" é a mais nova série da artista plástica Angela Od. Admiradores, amigos e curiosos logo poderão conhecer a mais nova produção - sempre arrebatadora -, que entra em cartaz na Galeria Movimento Arte Contemporânea, no Rio, a partir do próximo dia 27, com curadoria de Ulisses Carrilho. O vernissage acontece às 19h.

Peça em neon "O Cara da Espada em Ação", de Angela Od.

Já conhecida e reconhecida por sua técnica de bordados e trabalhos em linha, lã e tecido, Angela Od chega à Galeria Movimento, em Copacabana, e apresenta uma nova proposta com a exposição "Final Fantasy". A artista realizou trabalhos em vídeo, feitos por meio da computação gráfica, que permeiam fases, pequenos ciclos e epopeias de histórias comuns em seus bordados: o caráter narrativo do herói - que transita entre a idade média e a contemporaneidade de forma repetida -, personagem recorrente nas obras de Angela.

A obra "Ele não conhecia o Caminho", de Angela Od.

A exposição apropria-se do nome de um videogame para investigar a interdisciplinaridade entre as técnicas de bordado, pintura, desenho e a linguagem digital, e a tridimensionalidade do desenho projetivo por meio da computação gráfica, um meio de trabalho comum para a artista, que fazia criações de peças e vinhetas para meios de comunicação de massa antes de se envolver com a pintura.

"Unem-se a linha dos contornos da imagem digital, sempre virtual, à linha que legitimamente perfura o plano do tecido repetidamente para compor um bordado", observa Carrilho. Fantasia final remete ao fim do Herói, presente há anos no trabalho da artista. "Angela Od criou a alegoria da morte de seu personagem principal, O Cara da Espada, e une nesta mostra duas pontas de sua investigação", continua.

A artista plástica Angela Od.

Com uso de bordado e trabalhos em linha, lã e tecido, Angela Od reflete em sua arte o estudo que mostra semelhanças entre a figura do herói da idade média e da contemporaneidade, mitos e símbolos passados. Por meio de densas tramas com fios aplicados uns em cima do outro, ela forma narrativas fantásticas com o herói periférico sendo confrontado por suas escolhas, e como estas influenciam diretamente seu futuro.

Com isso, a artista é capaz de mesclar linguagens por meio de símbolos presentes, existentes nos vídeo games, jogos de mesa, rituais religiosos, superstições e crendices populares.


Formada pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage e em Comunicação Social pela Facha, Angela começou a expor seus trabalhos artísticos em 2013, com a mostra coletiva Mais Pintura, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio de Janeiro. Desde então, passou pelo Abre Alas, na Gentil Carioca, também no Rio; pelo Espaço Ecco, em Brasília; na Arte Londrina 7, em Londrina; no Salão Nacional de Arte de Jataí, em Góias; e até mesmo em La Paz, na Bolívia, em 2016. Em 2019, ela levou sua primeira individual, denominada "Lavanda é a Cor mais Livre", para o Museu de Arte de Ribeirão Preto (Marp).


Também em Ribeirão Preto, a artista ganhou o Prêmio de Aquisição do 43º SARP, para as obras "Bestiário 2"e "Bestiário 3", em 2019. Já em 2016, levou o Prêmio de aquisição para "O Cara da Espada em Ação 2", no Salão de Arte de Vinhedo, em São Paulo, e, na mesma cidade, foi agraciada com uma Menção Honrosa pelo vídeo "A garota que não queria perder o controle", na Galeria Transarte.


"Final Fantasy" poderá ser visitada até 20 de julho. A Galeria Movimento Arte Contemporânea fica na Av. Atlântica 4.240, lojas 212 e 213, em Copacabana.


Fotos: divulgação