Alunos do CIEP Nação Rubro-Negra fazem gol de letra. Literalmente.

Gol de letra, gol de placa... o leitor pode escolher seu lance favorito. Mas o que é unânime na opinião de qualquer torcida é que os alunos do curso de alfabetização de adultos do Ciep Nação Rubro-Negra são craques em campo, e no campo da educação. Eles driblaram as dificuldades, se recusaram a ocupar o banco de reservas e tornaram-se artilheiros das próprias vidas. Suas histórias estão contadas nos livros escritos por eles e lançados na noite desta segunda-feira, dia 25, no Leblon.

Este é o segundo ano consecutivo em que os alunos recém-alfabetizados das turmas do Projeto Educação de Jovens e Adultos (Peja) do Ciep Nação Rubro-Negra lançam seus livros, em que muitas vezes contam suas histórias pessoais e de superação. O projeto é coordenado pela professora Márcia Cardoso, organizado pela ONG Parceiros da Educação, e financiado pela empresa Football for a Cause.


O evento de lançamento, com noite de autógrafos, aconteceu dois dias depois que o Flamengo, time que dá nome ao Ciep, por serem "vizinhos" no Leblon, conquistou a Taça Libertadores da América em um jogo épico.

A professora Márcia Cardoso, coordenadora do projeto, e sua aluna-escritora Norma Sueli Aquino de Souza.

"Vendo o desempenho dos jogadores do Flamengo na final da Libertadores, não tive como não lembrar dos meus alunos. Pela perseverança, por não se deixarem abater pelo placar desfavorável que por vezes a vida lhes apresenta. Por analogia, podemos dizer que o técnico Jorge Jesus seria como os professores: estamos na escola para dar todo o apoio, ensinar os métodos, mas quem entra em campo são os alunos. E sair do analfabetismo e virar escritor de um livro, para esses alunos, é uma conquista tão grande quanto para um time como o Flamengo levantar uma taça internacional", compara a professora Márcia Cardoso, que coordena a iniciativa desde o início.


O projeto surgiu em 2018 por meio da ONG Associação Parceiros da Educação, que sempre admirou o trabalho do ensino noturno realizado no Ciep Nação Rubro-Negra. A ONG disponibilizou a iniciativa da Estante Mágica, empresa que, mais do que publicar os livros, auxilia os alunos a produzi-los, por meio do seu site.


A Football for a Cause tem como modelo de negócios receber doações de materiais de jogadores, realizar leilões e, com a renda adquirida, colaborar para projetos sociais. No ano passado, por exemplo, os livros foram editados com a ajuda do jogador Gabigol, que doou sua camisa do time para a produção e lançamento das publicações.

Embora esteja situado em uma área nobre do Rio de Janeiro, o Ciep Nação Rubro-Negra atende principalmente moradores das comunidades da Rocinha e do Vidigal, com uma faixa etária que oscila de 16 a 65 anos. Questões de violência, dificuldades econômicas, falta de segurança, machismo, entre tantas outras, são constantes na rotina desses alunos, que compartilham seus relatos em seus livros.


"É impressionante os casos que conheço de mulheres que desistem do curso por imposição dos maridos, ou até mesmo casos de separação pelo fato da mulher estar estudando. Parece que a mulher não pode evoluir. Adquirir conhecimento é algo perigoso aos olhos de alguns companheiros, pois ela vai pensar, e pensar pode gerar mudanças", lamenta a professora.


Antônia de Araújo Santana é uma dessas mulheres. A primeira a afastá-la da vida escolar foi a própria madrasta, problema que se perpetuou após o casamento, com um marido violento e que também a impedia do acesso aos estudos. O projeto foi a oportunidade de retomar a educação tantas vezes interrompida, e esse trajeto de superação e sucesso agora está registrado nas páginas de "A História da Minha Vida".

Mais informações sobre o projeto podem ser adquiridas pelo telefone (21) 98281-7186.